Descobre mais sobre o desenvolvimento de Splatoon na segunda parte da entrevista exclusiva com os produtores do jogo!


12/10/2016

Desde que foi lançado para a Wii U, em maio do ano passado, Splatoon revelou-se popular tanto para fãs de jogos de disparos experientes como para grupos de amigos que querem apenas divertir-se a espalhar tinta.

CI_WiiU_Splatoon_InterviewPart2_01.jpg

Na primeira parte da entrevista com o produtor e o produtor geral de Splatoon, Hisashi Nogami e Katsuya Eguchi respetivamente, descobrimos as suas preferências relativamente a alguns Splatfests. Nesta segunda parte, ainda no decorrer do torneio online Go4Splatoon Europe, Hisashi Nogami dá-nos a conhecer um pouco mais sobre o desenvolvimento do jogo.

Nintendo of Europe: Muito obrigado pela sua presença aqui hoje. Para começar, gostaria de perguntar se no início do desenvolvimento de Splatoon, a intenção era fazer um shooter ou se foi algo que acabou por acontecer de forma orgânica.

Hisashi Nogami: Inicialmente, quando começámos a criar Splatoon, não estávamos necessariamente a tentar criar um jogo de disparos. Queríamos ir para além de qualquer série de videojogos já existente, pelo que a nossa motivação inicial era criar um jogo completamente novo. Contudo, ao experimentarmos várias coisas durante o desenvolvimento, uma ideia que surgiu foi a de pintar o chão com tinta para lutar pela conquista de território.

Depois de termos desenvolvido este conceito um pouco mais, tivemos a ideia de fazer com que os jogadores mergulhassem na tinta para se deslocarem mais depressa e de acrescentar diferentes tipos de armas para proporcionar uma variedade maior de possibilidades de ataque. Depois pensámos que poderíamos desenhar um grande número de cenários para termos mais camadas de estratégia. À medida que fomos enriquecendo os conteúdos do jogo, foi-se tornando algo semelhante a um jogo de disparos.

CMM_WiiU_Splatoon_MrNogami.jpg

NoE: Alguma vez pensaram em associar uma série conhecida a Splatoon?

HN: A ideia era não estarmos restritos a uma série já existente. O primeiro ponto foi que precisava de ser divertido e depois de termos atingido isso, concebemos as personagens e a visão do mundo para que se adequasse perfeitamente ao jogo. Achávamos que um mundo novo com personagens novas era mais adequado para a jogabilidade e foi assim que surgiu esta nova marca.

NoE: Penso que os jogadores também sentem isso. Splatoon tem um estilo bastante especial: desde os gráficos à música, todo o jogo transmite uma atmosfera única. De onde surgiu a inspiração para tal?

HN: Queríamos muito que o estilo do jogo correspondesse à jogabilidade em si. Podemos ter um Reino Cogumelo para pintar ou podemos ter um mundo real. Pensámos que os jogadores estariam mais motivados para pintar se jogassem numa paisagem mais realista. Então criámos uma cidade que parece real.

Depois pensámos no tipo de Inklings que gostariam de jogar algo deste género. Eles gostam de estar na palhaçada, por assim dizer. Por essa razão, os Inklings no jogo são basicamente adolescentes. No mundo do jogo, todo o ato de disparar tinta por todo o lado apenas por diversão é como andar de skate ou de BMX no nosso mundo. É um pouco perigoso e faz-se nas ruas - nesse sentido, é inspirado nos desportos radicais.

Pensámos no tipo de vestuário de que as pessoas gostariam e esse tipo de estilo "skater" parecia apropriado para integrar no jogo. Os criadores de Splatoon têm, neste momento, cerca de 30 anos e muito do vestuário que veem no jogo é baseado no estilo que marcou a sua adolescência.

CI_WiiU_Splatoon_InterviewPart2_02.jpg

NoE: Então é como se o jogo refletisse a adolescência da equipa de desenvolvimento?

HN: Sim. É muito anos 90. Crescemos com esse estilo e isso reflete-se no jogo. Penso que as pessoas que cresceram com as mesmas influências se identificam bastante com ele.

NoE: E continua a ser relevante para o público mais jovem de hoje!

HN: O nosso objetivo também passava por aí. Penso que as tendências se repetem a cada 20 anos ou coisa que o valha, por isso é natural que faça sentido também para os jovens de hoje. Relativamente à música, tentámos fazer com que os jovens Inklings no jogo se identificassem com ela. É essa a imagem que tínhamos para a música que é reproduzida durante as batalhas. É como se dentro desse mundo houvesse uma banda a criar êxitos para os jovens. Inicialmente, havia cinco temas a tocar durante as batalhas, mas dois meses depois surgia uma nova tendência que nos obrigava a acrescentar mais na atualização (risos).

CI_WiiU_Splatoon_MuseumAlfonsino.jpg

NoE: Já passou mais de um ano desde o lançamento de Splatoon. O que mais vos surpreendeu relativamente ao seu sucesso?

HN: O que mais me surpreende é o número de pessoas que ainda joga este título. Imaginámos que uma grande variedade de jogadores poderia divertir-se a jogar Splatoon e estávamos confiantes de que havíamos feito um jogo no qual os jogadores podiam mesmo perder-se. Através das atualizações consecutivas fomos acrescentando novos conteúdos, incluindo cenários, e ao mesmo tempo ajustámos muito cuidadosamente o equilíbrio do jogo. Pretendemos criar emparelhamentos bastante equilibrados, assim como um ambiente em que os jogadores são capazes de unir forças e de fazer uso das suas capacidades. Demorámos bastante tempo a otimizar esse aspeto do jogo e estamos muito contentes por ver que tantas pessoas continuam a jogar Splatoon.

CI_WiiU_Splatoon_InterviewPart2_03.jpg

NoE: As Squid Sisters também se tornaram populares; já têm um CD no Japão e até já deram concertos. Qual é a direção que acha que vão seguir depois disto?

HN: Era apenas suposto darem informações aos jogadores. Francamente, não esperávamos que se tornassem tão populares! Também têm os seus próprios amiibo e o Splatfest final foi baseado nelas - tudo isto foi feito em resposta à sua popularidade junto dos jogadores. Vimos que eram bastante populares, por isso quisemos tirar partido disso. Então, o tipo de atividades que protagonizarão no futuro dependerá muito dos jogadores, pois iremos agir de acordo com as suas reações. Por agora não temos planos concretos.

NoE: Na sua opinião, qual é a razão para uma reação tão positiva ao jogo?

HN: Penso que para muitas pessoas, Splatoon é um tipo de jogo com o qual não têm tido muita experiência. Trata-se de um jogo de disparos na terceira pessoa, mas os jogadores não se limitam a derrotar adversários, pois o que determina as vitórias e as derrotas é a quantidade de território que as equipas cobrem de tinta. Penso também que a ideia de jogarem online numa equipa de quatro é aliciante e talvez seja isso que os tenha atraído neste jogo.

Quando estivemos presentes em eventos de videojogos no Japão, vimos que não só as pessoas a jogar Splatoon estavam sempre divertidas, mas as pessoas que estavam simplesmente a vê-los jogar também! Reparo muitas vezes no facto de que quando uma criança está a jogar, os seus pais estão atrás deles a dizer coisas do género: "Tens de fazer isto! Tens de ir por ali!". É um jogo igualmente divertido para os espectadores e quando estamos a assistir, temos vontade de participar. Penso que é isso que atraiu um grande número de pessoas.

CI_WiiU_Splatoon_InterviewPart2_04.jpg

NoE: Neste momento, um torneio online de Splatoon denominado "Go4Splatoon Europe" está a decorrer na Europa. Tem algum conselho para os concorrentes?

HN: Falem com os vossos colegas de equipa e tentem determinar uma boa estratégia. Pensem em diferentes formas através das quais poderão abordar diferentes situações e desenvolvam táticas para cada cenário. "Se é este cenário, então deveríamos abordá-lo desta forma. Ataquemos deste modo primeiro e, depois, se a situação se proporcionar, pegamos nesta tática para a superar." A estratégia é algo que deverão discutir, mas a prática também é muito importante. É preciso praticar! Penso que é importante ter isso em conta.

Claro que terão de praticar com as armas de que gostam, para que possam dominá-las. Por outro lado, têm de dominar um leque maior de armas, para que possam adaptar-se e desempenhar o vosso papel na estratégia geral, especialmente se quiserem mesmo ganhar. Se a intenção for só diversão, tudo bem, mas nestes torneios deverão tentar ganhar. Assim, com os vossos colegas de equipa têm de discutir táticas e praticar previamente. Esse seria o meu conselho.

NoE: Muito obrigado pelo seu tempo. Foi, sem dúvida, um prazer!

Splatoon para a Wii U está disponível nas lojas, incluindo a Nintendo eShop. O torneio Go4Splatoon Europe organizado pela ESL já está a decorrer e a equipa vencedora levará para casa a nova consola de videojogos da Nintendo, a NX. Lê mais informações no site Go4Splatoon Europe da ESL.