3. Luta com os olhos no adversário

Iwata:

Como começaste a fazer os primeiros inimigos, os Bokoblins?

Kiuchi:

Link abana a sua espada em qualquer direção neste jogo, então começámos por inventar o máximo de variação possível nos movimentos do inimigo.

Iwata:

Inicialmente, os Bokoblins eram os adversários de Link em batalhas de espadas.

Kiuchi:

Sim. Uma vez que podes abanar a espada da forma que queres, os movimentos e os posicionamentos dos inimigos adquirem uma nova importância.

Tominaga:

Até agora, os Bokoblins ficavam em pé, de vigia, com as suas espadas na vertical, e por vezes com as espadas na lateral mas em batalha qualquer uma destas formas servia.

Iwata:

Decidiram com base no aspeto visual.

Tominaga:

Sim. Até agora, a jogabilidade nunca se concentrava na direção em que abanavas a espada, então as posições dos inimigos não eram assim tão importantes. Mas desta vez podes controlar a forma como abanas a espada, pelo que precisámos de repensar tudo, de baixo para cima, incluindo as posições dos inimigos.

Iwata:

O acessório Wii MotionPlus permite a Link empunhar a espada livremente, o que afeta a posição e o movimento do inimigo.

Tominaga:

Exato. Por exemplo, se o inimigo estiver a guardar como antes, com a espada na vertical mas a inclinar para a esquerda, podes abanar a partir do lado direito e infligir danos. Podes atacar o inimigo quando vês uma aberta. É fácil dizer isto mas mesmo isso era uma coisa que não tínhamos sido capazes de fazer na série até agora.

Oyama:

Sim, as batalhas com os inimigos mudaram completamente, em comparação com The Legend of Zelda: Twilight Princess.

Iwata:

Também fizeste inimigos para esse jogo.

Oyama:

Sim. Penso que desta vez os inimigos evoluíram bastante. Nessa altura, era importante que tivessem bom aspeto, mas desta vez podes abanar a espada contra ele a partir de todo o tipo de ângulos. Então, não só a forma como vigiam mas também a forma como sofrem danos adquiriram variedade.

Iwata Asks
Iwata:

Com mais variação nos movimentos dos inimigos, o desafio cresce quando os enfrentas?

Tominaga:

Sim.

Kiuchi:

Agora observas de perto a forma como os inimigos se movem e pensas: “Que tipo de posição é a deste inimigo agora?”

Iwata:

É a luta de espadas. Lutas com os olhos no teu adversário.

Kiuchi:

Sim.

Iwata:

Até agora, nas lutas de espadas, desde que batesses no botão do comando, conseguias, normalmente, derrotar o teu adversário. Desta vez é diferente.

Kiuchi:

Exatamente. Em vez de se apressarem a atacar,  

Video: é importante assistir de perto à forma como o teu inimigo se está a mover, pensar nisso e só depois abanar a espada.

Como começaste a fazer os primeiros inimigos, os Bokoblins?
é importante assistir de perto à forma como o teu inimigo se está a mover, pensar nisso e só depois abanar a espada. Por exemplo, se alguém com uma espada estivesse mesmo à tua frente, mesmo que tivesses também uma espada, não atacarias tão rapidamente.

Iwata:

É verdade. Quando a tua vida depende disso, congelas. (risos)

Kiuchi:

É assim. Manténs uma certa distância, observas os movimentos do teu adversário de perto e depois pensas: “É isto?!” E aí atacas. Quando funciona, é gratificante e emocionante.

Iwata:

É como se o movimento do inimigo contivesse pistas.

Tominaga:

Certo. Claro que podes derrotar alguns inimigos abanando a espada livremente, mas primeiro observas o movimento e a forma do inimigo e procuras uma aberta. Também é importante saber avaliar distâncias. Se te aproximares demasiado, o inimigo poderá atacar primeiro, mas se ficares muito longe, a tua espada não consegue alcançar. E tens de esfaquear inimigos, então este jogo é como se fosse um desafio nosso para um duelo de espadas usando o Wii MotionPlus. Correndo o risco de estar a falar demais, há tantas lutas de espadas novas neste jogo que não consigo evitar, por isso encorajo toda a gente a atacar os seus inimigos!

Iwata Asks
Fujibayashi:

Por falar em lutar com os olhos no teu adversário, falámos na primeira sessão sobre como é desafiante o inimigo chamado Ghirahim.

Iwata:

Ele consegue ler o movimento de Link, então Miyamoto-san irritou-se e disse: “É possível vencer este tipo?!”

Fujibayashi:

Sim. (risos) Ghirahim também faz uma coisa em que simula o ato de te atacar repetidamente com uma faca. Olhar para os seus movimentos antecipatórios e desviar-se, bloqueando com o escudo e defendendo com a tua espada, é uma das estratégias para o derrotar.

Iwata:

Estou a ver. Vês os seus movimentos para preveres o seu próximo ataque.

Fujibayashi:

Sim. Depois, um dia, quando Miyamoto-san estava a lutar durante uma sessão de jogo de teste, essa série de ataques surgiu e ele defendeu com o seu escudo. Essa é, claro, uma ação correta mas a força do ataque ainda não tinha sdo ajustada, pelo que houve um golpe e o escudo partiu-se. Miyamoto-san ficou atordoado e disse: “O meu escudo…” (risos)

Todos:

(risos)

Fujibayashi:

É suposto lutares com os olhos no teu adversário mas enquanto estávamos a assistir, aconteceu algo de inesperado: sentimos um friozinho na sala.

Iwata:

Penso que gostaria de ter visto essa reação. (risos) O escudo não era, originalmente, algo que se parta mas desta vez partiu-se.

Fujibayashi:

Sim.

Iwata:

Porque fizeram o escudo partível?

Fujibayashi:

Desta vez falámos com Miyamoto-san sobre o escudo tanto quanto a espada de Link e incluímos jogabilidade adequada às lutas de espadas. Há uma ação chamada  

Video: Shield Bash

Como começaste a fazer os primeiros inimigos, os Bokoblins?
Shield Bash . Por exemplo, quando parece que um inimigo te vai atacar, se mexeres a mão esquerda, que segura o Nunchuk, podes atacar com o escudo.

Kiuchi:

Controlas intuitivamente como se tivesses mesmo um escudo no teu braço esquerdo e é uma sensação fantástica quando o teu Shield Bash é eficaz.

Iwata:

O movimento no ecrã corresponde à sensação do teu corpo.

Kiuchi:

Exatamente. As tuas duas mãos sincronizam-se com Link a segurar na espada na mão direita e no escudo com a esquerda. E quando és atacado por um inimigo e pensas: “Oh não!”, podes impulsionar com o teu escudo e transformar uma situação negra numa boa oportunidade.

Fujibayashi:

Mas há um problema. Se pudesses fazer um Shield Bash sem qualquer risco, Link seria demasiado forte. Por essa razão, se não o fizeres bem,  

Video: a barra do escudo esvaziar-se-á.

Como começaste a fazer os primeiros inimigos, os Bokoblins?
a barra do escudo esvaziar-se-á.

Kiuchi:

Quando a barra está totalmente vazia, o escudo desintegra-se.

Fujibayashi:

Nessa altura, exageráramos na força dos ataques para testarmos a jogabilidade em torno do Shield Bash.

Iwata:

Aha. É por isso que o escudo de Miyamoto-san se partiu. (risos) Mas da primeira vez que falámos, falámos de como, nessa luta contra Ghirahim, seria eficaz deter a espada e atacá-lo enganando-o.

Fujibayashi:

Certo. Há aspetos únicos da jogabilidade quando Link ataca assim como quando defende. De qualquer forma, é importante prestar atenção à forma como o teu adversário está a mover-se. E se simplesmente não sabes o que fazer, a Fi dá-te uma pista.

Iwata:

A Fi é uma espécie de companheira de Link.

Fujibayashi:

Sim. Um companheira informativa e fria! (risos)

Tominaga:

Sem dúvida. Ela tem sempre a cabeça fria e está sempre serena. Quer Link esteja um aperto ou não, a forma como fala nunca se altera. (risos)

Fujibayashi:

Ela sabe tudo, mesmo que toda a gente esteja muito entusiasmada, a Fi está calmíssima. É uma assistente de confiança.