2. Pokémon renascidos

 


Em desenvolvimento

Iwata:

Ishihara-san, como foi o processo de transformar Pokémon em 3D?

Ishihara:

No processo da sua transformação em 3D, consegui obter uma visão clara dos aspetos de que antes não estava muito ciente. Por exemplo, o que eu achava que era uma cauda acabava por ser outra coisa ou, então, começava a oferecer instruções sobre um bigode para descobrir depois que era, afinal, um chifre! (risos)

Iwata:

(risos)

Ishihara:

Os Pokémon sempre exprimiram toda a diversidade do mundo animal, pelo que a sua modelação foi bastante difícil.

Masuda:

(sentido) Sem dúvida!

Iwata:

Muitos videojogos em todo o mundo contam com muitas personagens, que costumam ser divididas, como, por exemplo: “esta é uma das personagens principais, este é um boss grande, este é um boss médio e este faz parte da categoria ‘Outros’”. E a equipa de desenvolvimento dedica a cada personagem uma quantidade de esforço diferente.

Ishihara:

Exatamente.

Iwata:

Mas neste jogo cada pessoa tem o seu Pokémon preferido, pelo que tem de se dedicar uma quantidade de energia igual a todos os Pokémon.

Ishihara:

Não podemos desleixar-nos com nenhum deles.

Iwata:

Deve ser uma provação dificílima para quem os faz! (risos)

Masuda:

Nem imaginas! (risos) Mas já fazemos isso há anos, pelo que já se tornou, basicamente, um procedimento habitual.

Iwata:

Gostaria também de falar sobre os títulos Pokémon X e Pokémon Y.

Masuda:

Muito bem.

Iwata:

Quando, em janeiro deste ano, anunciámos a primeira apresentação “Pokémon Direct”2, corriam vários rumores até ao momento em que foi publicada, do género: “O novo jogo vai chamar-se ‘Pokémon Rainbow’?!” (risos)2. Primeira “Pokémon Direct”: os títulos Pokémon X e Pokémon Y foram revelados na “Pokémon Direct”, transmitida no dia 8 de janeiro de 2013.

Ishihara:

Sim, sim. Certo! (risos)

Iwata:

Lembro-me como se fosse ontem da forte resposta que recebemos quando anunciámos os nomes dos jogos. As pessoas ficaram surpreendidas e disseram que era inesperado. Porque decidiram chamá-los de “Pokémon X” e “Pokémon Y”?

Masuda:

O X e o Y representam os eixos x e y.

Iwata:

O X é o eixo horizontal e o Y é o vertical.

Masuda:

Certo. O mundo tem pessoas com todos os tipos de formas de pensar e ficas com uma noção de que existem em três dimensões. Mas se pensares nelas como pessoas que pensam no eixo x e pessoas que pensam no eixo y– eixos horizontal e vertical – então, eles cruzam-se a determinado ponto.

Iwata:

Mesmo que pensem de formas contrárias, há pontos em que também concordam.

Masuda:

Exatamente. Podemos pensar de formas diferentes, mas todos vivemos no mesmo planeta e todos comemos, dormimos e fazemos as nossas tarefas diárias dia após dia.

Iwata:

Então o tema, desta vez, é que mesmo que as línguas, culturas e formas de pensar sejam diferentes, há sempre um ponto em que se sobrepõem.

Masuda:

Sim. Pensámos nisso logo no início e começámos depois a construir o mundo circundante destes jogos.

Iwata:

Mas, até agora, os títulos da série têm consistido em cores, como Pokémon Red Version e Pokémon Blue Version3, ou pedras preciosas, como Pokémon Ruby Version e Pokémon Sapphire Version4. Por isso, quando decidiram de repente escolher letras do alfabeto, alguns membros da equipa devem ter ficado desconfortáveis e a perguntar-se se poderia ser assim, não?3. Pokémon Red Version e Pokémon Blue Version: os primeiros jogos da série Pokémon lançados para a Nintendo Game Boy no Japão, a 27 de fevereiro de 1996. Na Europa foram lançados no dia 10 de junho de 1999. Pokémon Blue Version chama-se “Pokémon Green Version” no Japão.4. Pokémon Ruby Version e Pokémon Sapphire Version: jogos lançados para a Nintendo Game Boy Advance no Japão a 21 de novembro de 2002. Na Europa foram lançados no dia 25 de julho de 2003.

Masuda:

Verdade.

Iwata:

Bem me parecia! (risos)

Masuda:

Então, consultámos muitas pessoas, como o (Ken) Sugimori-san5 e acabámos por decidir que este trajeto era simples e fácil de entender. E embora a pronúncia da letra possa variar consoante os países, a forma da letra é a mesma em todo o mundo — por exemplo, em japonês a letra X pronuncia-se “ekkusu”, mas em francês pronuncia-se “ix” — pelo que também nesse sentido, era uma forma apropriada de nomear estes jogos. 5. Ken Sugimori: director executivo da Game Freak Inc. Está a cargo do design das personagens Pokémon desde os primeiros jogos até aos mais recentes. Foi convidado na entrevista “Iwata Pergunta” dedicada a Pokémon Black Version e Pokémon White Version.

Iwata:

São os títulos perfeitos para jogos que vão ser lançados simultaneamente em todo o mundo.

Masuda:

Sim. E os Legendary Pokémon chamados “Xerneas” e “Yveltal” aparecem desta vez. Foram desenhados com o intuito de as suas silhuetas se assemelharem a um X e a um Y.

Iwata:

Fizeram esse pedido ao Sugimori-san?

Masuda:

Sim.

Iwata:

Suspeitava que sim.

Masuda:

Trata-se de Legendary Pokémon, pelo que não se veem muitas vezes. Mas algumas pessoas que vivem na região de Kalos já os viram, por isso quando dizem aos outros, cheios de entusiasmo, e deixam para trás uma tradição, achámos que seria interessante se dissessem coisas como “Parecia um X!” ou “Parecia um Y!”

Iwata:

Há uma tradição oral na descrição destes Legendary Pokémon.

Masuda:

Exato.

Iwata:

Ishihara-san, o que pensaste quando foste consultado em relação à utilização das letras X e Y nos títulos?

Ishihara:

Achei boa ideia. Como são os primeiros jogos Pokémon principais para uma nova consola, a Nintendo 3DS, queria fazer algo completamente diferente, por isso considerei estes nomes perfeitos.

Iwata:

Deste o teu aval imediatamente?

Ishihara:

Podes crer! (risos)