Qual é a posição oficial da Nintendo em relação a pirataria de videojogos?

A pirataria de videojogos é ilegal. A Nintendo opõe-se aos que beneficiam do trabalho criativo de criadores de jogos, artistas, animadores, músicos, profissionais de captação de movimento e outros. A pirataria continua a constituir uma ameaça significativa ao negócio não só da Nintendo como de mais de 1400 empresas de desenvolvimento de videojogos que trabalham no sentido de trazer jogos inovadores e únicos para as consolas da Nintendo. Acima de tudo, a sobrevivência das criadoras e das editoras de jogos depende das vendas legítimas dos seus jogos. A pirataria desencoraja a inovação e o desenvolvimento de jogos novos, ao mesmo tempo que pode dar origem a uma redução do número de empregos disponíveis na indústria, o que, no final, acaba por ter consequências para o consumidor. A pirataria ameaça também a viabilidade financeira de lojas que vendem produtos genuínos.